Interpretação de texto: Irapuru – o canto que encanta – 8º ano

Interpretação de texto: Irapuru - o canto que encanta - 8º ano

    Atividade de interpretação de texto, dirigida aos alunos do 8º ano, permite o aprimoramento de diferentes habilidades de leitura. As questões baseiam-se no texto “Irapuru – o canto que encanta”. 

    Você pode baixar esta atividade de português em modelo editável do Word, pronta para impressão em PDF e também a atividade respondida.



 

 

    Faça o download desta atividade em:

 

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:     

Leia:

Irapuru – o canto que encanta

    Certo jovem, não muito belo, era admirado e desejado por todas as moças de sua tribo por tocar flauta maravilhosamente bem. Deram-lhe, então, o nome de Catuboré, flauta encantada. Entre as moças, a bela Mainá conseguiu o seu amor; casar-se-iam durante a primavera.

    Certo dia, já próximo do grande dia, Catuboré foi à pesca e de lá não mais voltou.

    Saindo a tribo inteira à sua procura, encontraram-no sem vida, à sombra de uma árvore, mordido por uma cobra venenosa. Sepultaram-no no próprio local.

    Mainá, desconsolada, passava várias horas a chorar sua grande perda. A alma de Catuboré, sentindo o sofrimento de sua noiva, lamentava-se profundamente pelo seu infortúnio. Não podendo encontrar paz, pediu ajuda ao Deus Tupã. Este, então, transformou a alma do jovem no pássaro irapuru, que, mesmo com escassa beleza, possui um canto maravilhoso, semelhante ao som da flauta, para alegrar a alma de Mainá.

    O cantar do irapuru ainda hoje contagia com seu amor os outros pássaros e todos os seres da natureza.

Waldemar de Andrade e Silva. “Lenda e mitos dos índios brasileiros”. São Paulo: FTD, 1997.

 

Questão 1 –  O texto lido é do gênero:

a) fábula

b) conto

c) lenda

d) romance

 

Questão 2 – A finalidade do texto é:

a) narrar o romance entre Catuboré e Mainá.

b) informar sobre os perigos da vida na floresta.

c) orientar para o funcionamento da flauta.

d) explicar o surgimento do pássaro irapuru”.

 

Questão 3 – De acordo com o texto, “Certo dia, já próximo do grande dia, Catuboré foi à pesca e de lá não mais voltou.”. Por quê?

 

 

Questão 4 – O que fez o Deus Tupã, a fim de conceder a paz a Catuboré?

  

 

Questão 5 – Identifique a que se referem os termos grifados nas passagens:

a) “Deram-lhe, então, o nome de Catuboré […]”.

 

b) “Este, então, transformou a alma do jovem no pássaro irapuru […]”

 

 

Questão 6 – No segmento “Mainá, desconsolada, passava várias horas a chorar sua grande perda.”, o verbo sublinhado exprime um fato que:

a) que poderia acontecer.

b) está acontecendo.

c) que já aconteceu.

d) está em realização no passado.

 

Questão 7 – No trecho “[…] por tocar flauta maravilhosamente bem.”, a palavra destacada indica a ideia de:

a) modo

b) tempo

c) afetividade

d) lugar

 

Questão 8 – Na passagem “[…] para alegrar a alma de Mainá.”, a preposição “para” mais o verbo na forma de infinitivo “alegrar” estabelece uma relação de:

a) comparação

b) finalidade

c) conclusão

d) causa

 

Questão 9 – Assinale a frase em que o verbo sublinhado funciona como substantivo:

a) “Certo jovem, não muito belo, era admirado e desejado por todas as moças de sua tribo […]”

b) “Entre as moças, a bela Mainá conseguiu o seu amor; casar-se-iam durante a primavera.”

c) “Mainá, desconsolada, passava várias horas a chorar sua grande perda.”

d) “O cantar do irapuru ainda hoje contagia com seu amor os outros pássaros e todos […]”

 

 

Por Denyse Lage Fonseca – Graduada em Letras e especialista em educação a distância.

As respostas estão no link acima do cabeçalho.







Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *