Interpretação de texto: Por parte de pai – 1º ano do ensino médio

    Interpretação de texto, Fragmento do livro “Por parte de pai”, direcionada aos estudantes do 1º ano do Ensino Médio. No trecho em questão, o narrador-personagem nos conta sobre o hábito de seu avô de registrar, nas paredes da casa, os acontecimentos cotidianos. As variadas questões propostas contemplam a temática e os recursos linguísticos utilizados na construção do texto.

    Você pode baixar esta atividade de português em modelo editável do Word, pronta para impressão em PDF e também a atividade respondida.



 

    Faça o download desta atividade em:

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:      

Leia o fragmento extraído do livro “Por parte de pai”:

    Todo acontecimento da cidade, da casa do vizinho, meu avô escrevia nas paredes. Quem casou, morreu, fugiu, caiu, matou, traiu, comprou, juntou, chegou, partiu. Coisas simples como a agulha perdida no buraco do assoalho, ele escrevia. A história do açúcar sumido durante a guerra estava anotada. Eu não sabia por que os soldados tinham tanta coisa a adoçar. […]. E a casa de corredor comprido, ia ficando bordada, estampada de cima a baixo. As paredes eram o caderno do meu avô. Cada quarto, cada sala, cada cômodo, uma página (…). Conversa mais indecente ele escrevia bem no alto. Era preciso ser grande para ler, ou aproveitar quando não tinha ninguém em casa. (…).

    Enquanto ele escrevia, eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede. A casa do meu avô foi o meu primeiro livro. (…) Apreciava meu avô e sua maneira de não deixar as palavras se perderem.

QUEIRÓS, Bartolomeu Campos. Por parte de pai. Belo Horizonte: RHJ, 1995.

 

Questão 1 – Identifique a finalidade das paredes da casa para o avô do narrador do texto:

 

 

Questão 2Marque a passagem em que se percebe a importância das escritas nas paredes, feitas pelo avô, na formação do narrador-personagem:

a) “Era preciso ser grande para ler […]”.

b) “[…] eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede.”.

c) “A casa do meu avô foi o meu primeiro livro.”.

d) “Apreciava meu avô e sua maneira de não deixar as palavras se perderem.”.

 

Questão 3 – Assinale a alternativa em que a classe do termo sublinhado não foi corretamente identificada nos colchetes:

a) “Coisas simples como a agulha perdida no buraco do assoalho, ele escrevia.”. [substantivo]

b) “A história do açúcar sumido durante a guerra estava”. [verbo de ligação]

c) “E a casa de corredor comprido, ia ficando bordada […]”. [preposição]

d) “Conversa mais indecente ele escrevia bem no alto.”. [adjetivo].

 

Questão 4 – Observe:

Enquanto ele escrevia, eu inventava histórias sobre cada pedaço da parede. A casa do meu avô foi o meu primeiro livro.”.

O conectivo destacado instaura uma relação de:

a) adversidade

b) simultaneidade

c) reciprocidade   

d) afetividade

 

Questão 5 – Justifique o emprego da forma evidenciada em: “Eu não sabia por que os soldados tinham tanta coisa a adoçar.”:

 

 

Questão 6 – Assinale a alternativa em que a razão gramatical, que justifica o acento gráfico da palavra destacada, não foi identificada corretamente:

a) avô [monossílabo tônico]

b) história [paroxítona terminada em ditongo]

c) açúcar [paroxítona terminada em "r”].

d) cômodo [p[proparoxítona]/p>

 

Questão 7 – Em “Conversa mais indecente ele escrevia bem no alto.”, o prefixo sublinhado indica:

a) restrição

b) negação

c) exclusão

d) acréscimo

 

Questão 8 – Identifique a forma pronominal utilizada para a referência a “meu avô”:

 

 

Questão 9 – Prevalecem no texto as sequências do tipo:

a) expositivo

b) argumentativo

c) descritivo

d) narrativo

 

Por Denyse Lage Fonseca – Graduada em Letras e especialista em educação a distância.

As respostas estão no link acima do cabeçalho.







Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *