Atividade de português: Verbos no passado – 7º ano

Atividade de língua portuguesa: Verbos no passado - 7º ano

    Atividade de português solicita, aos estudantes do 7º ano, o encaixe adequado dos verbos no passado, embaralhados propositalmente, na construção do texto A Lenda do umbu. Nesse contexto, trabalha-se a noção de coerência e coesão textual. 

    Você pode baixar esta atividade de língua portuguesa em modelo editável do Word, pronta para impressão em PDF e também a atividade respondida.



 

 

    Faça o download desta atividade em:

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:   

Atividade: Os verbos, grifados na lenda a seguir, foram embaralhados. Reescreva-a, encaixando-os no lugar adequado, a fim de dar sentido ao texto:

 A lenda do umbu

    No princípio, as árvores eram todas iguais. Mas um dia Deus estava muito contente, porque os diabos e os homens tinham sido derrotados, e chegou a comemorar isso satisfazendo a vontade das árvores.

    Explicou para a coronilha o que é que ela queria. Ela disse que queria ser tão dura a ponto de resistir aos golpes do machado. Perguntou para o molho. Ele resolveu que queria assoviar. Perguntou para a figueira do campo. Ela disse que queria ser forte, muito alta, muito bonita.

    E assim Deus foi satisfazendo o pedido de todas as árvores.

   Quando satisfez a vez do umbu, este disse que queria ter o corpo muito fraco, como madeira à- toa, mas, se fosse possível, queria ser grande, para dar bastante sombra aos homens.

  Deus perguntou a vontade dele, igualmente, mas antes perguntou por que queria ter madeira fraca e mole, enquanto todas as árvores queriam ser fortes e duras como a coronilha. Então o umbu respondeu que queria que a sua madeira pudesse servir, algum dia, para cruz e sacrifício de um santo. E desde aí o umbu é assim.

Lisboa. Literatura oral para a infância e a juventude: Lendas, contos e fábulas populares do Brasil.

São Paulo: Peirópolis, 2002.

  

 

 

 

 

 

 

Por Denyse Lage Fonseca – Graduada em Letras e especialista em educação a distância.

As respostas estão no link acima do cabeçalho.







Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *