Atividade de português: Questões sobre tempos verbais – 8º ano

Atividade de língua portuguesa: Questões sobre tempos verbais - 8º ano

    Atividade de português, dirigida aos alunos do 8º ano, compõe-se de questões sobre os tempos verbais, empregados na construção dos poemas A lua no cinema, de Paulo Leminski e Sonho, de Roseana Murray. 

    Você pode baixar esta atividade de língua portuguesa em modelo editável do Word, pronta para impressão em PDF e também a atividade respondida.



 

 

    Faça o download desta atividade em:

 

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:     

Leia o poema a seguir para responder às questões de 1 a 4:

 

A lua no cinema

 

A lua foi ao cinema,

passava um filme engraçado,

a história de uma estrela

que não tinha namorado.

 

Não tinha porque era apenas

uma estrela bem pequena,

dessas que, quando apagam,

ninguém vai dizer, que pena!

 

Era uma estrela sozinha,

ninguém olhava pra ela,

e toda a luz que ela tinha

cabia numa janela.

 

A lua ficou tão triste

com aquela história de amor,

que até hoje a lua insiste:

– Amanheça, por favor!

 

Paulo Leminski. Distraídos venceremos. São Paulo, Brasiliense, 1993.

 

Questão 1 – Na passagem “[…] uma estrela bem pequena, dessas que, quando apagam, […]”, o verbo em destaque indica um processo que:

a) já aconteceu.

b) acontecerá com certeza.

c) aconteceu em um passado distante.

d) está acontecendo.

 

Questão 2 – Retire do poema o outro verbo que indica o mesmo processo de “apagam”:

 

 

Questão 3 – No verso “ninguém vai dizer, que pena!”, a locução grifada apresenta o sentido correspondente ao verbo:

a) diria

b) dirá

c) disse

d) dizia

 

Questão 4 – Identifique o tempo em que se encontra o verbo assinalado na questão anterior:

 

 

Leia este poema para responder à questão 5:

 

Sonho

 

Um dia os homens acordaram

e estava tudo diferente:

das armas atômicas nem sinal havia

e todos falavam a mesma língua,

falavam poesia.

Quem visse a Terra do alto

nem reconheceria,

eram campos e campos de trigo

e corações de puro mel.

E foi uma felicidade tamanha,

nos jornais nem um só crime,

que contando ninguém acreditaria.

 

Roseana M. Lições de céu. In Palavras de encantamento: antologia de poetas brasileiros. São Paulo: Moderna, 2001.

 

Questão 5 – Em “Quem visse a Terra do alto nem reconheceria […]”, o emprego dos verbos no futuro do pretérito indica fatos:

a) hipotéticos.

b) concluídos.

c) inacabados.

d) previsíveis.

 

Por Denyse Lage Fonseca – Graduada em Letras e especialista em educação a distância.

As respostas estão no link acima do cabeçalho.







Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *