Atividade de português: Linguagem formal e informal – 7º ao 9º

Atividade de língua portuguesa: Linguagem formal e informal - 7º ao 9º

    Atividade de português, proposta a estudantes do 7º ao 9º ano do ensino fundamental, com exercícios de estudo da linguagem formal e informal. Com atividades de leitura e interpretação das músicas “Vaca Estrela e Boi Fubá” dos cantores Luiz Gonzaga e Fagner e “E.C.T.” da cantora Cassia Eller.

    Esta atividade de língua portuguesa está disponível para download em modelo editável do Word, pronto para impressão em PDF e também a atividade respondida.



 

 

    Baixe esta atividade em:

 

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:     

Atividade de Português

Leia o texto abaixo para responder a questão 1.

E.C.T.

 Tava com um cara que carimba postais

Que por descuido abriu uma carta que voltou Levou um susto que lhe abriu a boca

Esse recado veio pra mim, não pro senhor.

 

Recebo crack, colante, dinheiro parco embrulhado

Em papel carbono e barbante, até cabelo cortado Retrato de 3 x 4 pra batizado distante

Mas isso aqui meu senhor, é uma carta de amor

Levo o mundo e não vou lá

 

Mas esse cara tem a língua solta

A minha carta ele musicou

Tava em casa, a vitamina pronta

Ouvi no rádio a minha carta de amor

 

Dizendo “eu caso contente, papel passado, presente Desembrulhado, vestido, eu volto logo me espera

Não brigue nunca comigo, eu quero ver nossos filhos

O professor me ensinou a fazer uma carta de amor”

 

Leve o mundo que eu vou já

Cássia Eller

 

Questão 1 No verso “ Tava com um cara que carimba postais ” o termo destacado apresenta linguagem:

a) coloquial.

b) formal.

c) jornalística.      

d) literária.

 

Faça a leitura e escuta da canção para responder as questões de 2 a 6.

Vaca Estrela e Boi Fubá

Fagner e Luiz Gonzaga.

Seu doutor me dê licença pra minha história contar.

Hoje eu tô na terra estranha, é bem triste o meu penar

Mas já fui muito feliz vivendo no meu lugar.

Eu tinha cavalo bom e gostava de campear.

E todo dia aboiava na porteira do curral.

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,

ô ô ô ô Boi Fubá.

Eu sou filho do Nordeste , não nego meu natura

Mas uma seca medonha me tangeu de lá pra cá

Lá eu tinha o meu gadinho, num é bom nem imaginar,

Minha linda Vaca Estrela e o meu belo Boi Fubá

Quando era de tardezinha eu começava a aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,

ô ô ô ô Boi Fubá.

Aquela seca medonha fez tudo se atrapalhar, 

Não nasceu capim no campo para o gado sustentar

O sertão esturricou, fez os açude secar

Morreu minha Vaca Estrela, já acabou meu Boi Fubá

Perdi tudo quanto tinha, nunca mais pude aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,

ô ô ô ô Boi Fubá.

Hoje nas terra do sul, longe do torrão natá

Quando eu vejo em minha frente uma boiada passar,

As água corre dos olho, começo logo a chorá

Lembro a minha Vaca Estrela e o meu lindo Boi Fubá

Com saudade do Nordeste, dá vontade de aboiar

Ê ê ê ê la a a a a ê ê ê ê Vaca Estrela,

ô ô ô ô Boi Fubá.

www.letra.mus.com

 

Questão 2 – Leia o verso:” Seu doutor me dê licença pra minha história contar…”

Quem conta uma história para “Seu doutor”?

 

Questão 3 Observe os seguintes versos:” Hoje eu tô na terra estranha, é bem triste o meu penar/Mas já fui muito feliz vivendo no meu lugar…” Qual é essa terra estranha que o eu lírico diz estar vivendo? E qual provavelmente é esse lugar em que ele foi feliz? Faça a descrição analisando elementos contidos na letra da música?

 

 

Questão 4 O que aconteceu com a Vaca Estrela ,com o Boi Fubá e com o nordestino após a seca medonha?

 

 

Questão 5 – Esse poema do Patativa do Assaré foi “musicalizado” em 1965 por Luiz Gonzaga e o mesmo retrata a vida sofrida dos retirantes do nordeste brasileiro que saem do seu local de origem devido a seca e migram para as cidades grandes em busca de melhoria de vida. Essa realidade mudou nos dias atuais? Comente.

 

 

Questão 6 – Faça a correção das palavras escritas na linguagem informal para a linguagem formal.

 

 

 

Por Rosiane Fernandes Silva – Graduada em Letras

As respostas estão no link acima do cabeçalho.







Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *