Biografia de Anísio Teixeira.

Anísio Spínola Teixeira foi um dos personagens importantes na historia da educação brasileira. Ele difundiu os fundamentos da escola nova, foi um dos signatários do manifesto da escola nova, ele defendia o ensino público gratuito.


A biografia de Anísio Teixeira iniciou-se em 12 de julho de 1900, na cidade de Caetité BA. Filho de Deocleciato Pires Teixeira e Ana Spínola Teixeira.

Cursou os estudos primários no Colégio São Luiz em 1907. Cursou em 1914 o secundário no Colégio Antônio Vieira, em Salvador. Formou-se Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, no ano de 1922, na Faculdade de Direito da Universidade do RJ.

Em 1924 foi nomeado inspetor geral de ensino da secretaria do interior, justiça e instrução pública da BA. Em viagem a Europa tem a oportunidade e analisar o sistema de ensino. Um ano depois da viajem em 1926 Anísio abre a Escola Normal de Caetité.

Em 1927 ele faz uma viagem aos EUA para estudar a organização escolar.

Em 1929 Anísio que ocupava o cargo de Diretor Geral de Instrução da Bahia, se exonera. Neste mesmo ano Anísio Teixeira publica o livro “A pedagogia de Dewey: esboço da Teoria da Educação de John Dewey” e também se gradua como máster of arts, especializado em educação pelo Teacher’s College da Columbia University.

Dois anos depois Teixeira é nomeado membro da Comissão do Ministério da Educação e Saúde Pública, para reorganizar o ensino secundário.

Ele publica Educação Progressiva, também assume a cátedra de Filosofia da Educação no Instituto de Educação do RJ e depois na Escola de Educação da UDF, onde permanece até sair da Diretoria da Instrução Pública. É neste mesmo ano em 1932 que ele assina o Manifesto dos pioneiros da educação nova. No dia 7 de maio de 1932 dele se casa com dona Emília Telles Ferreira.

É nomeado secretário de Educação e Cultura do Distrito Federal, em 1935, porém no dia 1º de dezembro ele se demite por motivos políticos.

Marta Maria nasce em 1937, ela é sua primeira filha. Também chega o Estado Novo, Anísio Teixeira e sua família são banidos, e mudam-se para o interior da Bahia.

Com a chegada de sua segunda filha ele se muda para Salvador em 1939, onde gerencia ao lados dos irmãos Jaime e Nélson, a Sociedade Importadora e Exportadora (Simel) que exporta minérios e importa locomotivas e material ferroviário.

Nos anos que se seguem nascem mais dois filhos de Anísio: Carlos Antonio em 1941 e José Maurício em 1943

De 1947 a 1951 Anísio Teixeira exerce o cargo de Secretário da Educação e Saúde do Estado da Bahia.

De 1951 a 1964 ele exerce o cargo de Secretários Geral da Campanha de Aperfeiçoamento do Pessoal de Ensino Superior (Capes).

De 1952 a 1964 ele integra a Diretoria do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (Inep).

“A educação e a crise brasileira” é publicado em 1952, “A universidade e a liberdade humana“ é publicado em 1954. Em 1956 publica “A educaçã Oe a crise brasileira”

Um ano depois ele inaugura o Centro Regional de Pesquisas Educacionais de Recife e publica “Educação não é privilégio”.

É presidente de honra da Sessão de encerramento do Congresso Estadual dos Estudantes de SP.

Em 1959 inaugura-se a Casa do Brasil, na Cidade Universitária de Paris. Um ano depois ele viaja para o Chile para participar da reunião do Conselho de Educação Superior das Repúblicas Americanas.

Em 1962 ele torna-se membro do Conselho Federal de Educação. Neste mesmo ano morre seu filho José Maurício.

No Brasil, em 1964 Anísio é perseguido por infundadas difamações e processado sob a acusação da prática de peculato.

De 1967 a 1971 torna-se consultor para assuntos educacionais na Editora Nacional, participa também do Conselho Federal de Educação.

Em 1969 são publicados “Educação no Brasil” “Educação no mundo moderno”, seus dois últimos livros.

Em 11 de março de 1971 é encontrado morto no poço do elevador do edifício onde mora o acadêmico Aurélio Buarque de Holanda.

Download do Livro: Anísio Teixeira




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *