Interpretação de texto: De volta a real – 1º ano do Ensino Médio

interpretação de texto ensino médio

    Interpretação de texto, intitulado “De volta à real”, escrito por João Ubaldo Ribeiro. As atividades propostas direcionam-se aos alunos inseridos no primeiro ano do Ensino Médio.

        Você pode baixar esta atividade de português em modelo editável do Word, pronta para impressão em PDF e também a atividade respondida

 


 

    Faça o download desta interpretação em:

 

 

 

ESCOLA:                                                          DATA:

PROF:                                                              TURMA:

NOME:      

 

Leia este texto:

De volta à real

João Ubaldo Ribeiro

    Relutantemente, lembro que está na hora de deixar Itaparica. Neste domingo, já deverei encontrar-me de volta ao batente de sempre. Há uma melancolia irônica nisso, porque o paraíso terrestre só se alcança por tempo limitado. Como o casamento, de que já se disse ser igual a uma gaiola: o passarinho que está fora quer entrar, o que está dentro quer sair. É verdade e suponho que tem mesmo a ver com a natureza humana. Meu truque, em relação à ilha, é demorar o bastante para, ao deixá-la, ainda querer ficar. Assim preservo as saudades e o encanto do que revivi, nesses dias tão breves que acabo de passar. Não posso permanecer o resto da vida apenas assistindo às festas que, nesta época do ano, aqui parecem acontecer todos os dias, conversando e espiando os passarinhos, batendo papo com meus fantasmas e sendo docemente irresponsável, como se nada mais no mundo tivesse importância.

    E o fato é que a Itaparica que lhes apresento não existe, não é possível que exista. Meus conterrâneos, apesar de talvez pitorescos para os olhos forasteiros, são gente como outra qualquer, com os defeitos e qualidades que se veem em gente de qualquer parte. E claro, não estão num mundo e num país à parte, têm problemas e angústias como todos os outros, embora amenizados por estes ares gentis, este sossego acolhedor, estas águas verdes e azuladas do mar da Bahia, estes bancos de areia sem fim, a Natureza despertando o poeta de meia-tigela que mora em tantos de nós. Para mim, em especial, há ainda umas sugestões fugidias da infância e da juventude cada vez mais remotas e mais romantizadas, uns cheiros, uns relances de paisagem, uns sentimentos que, de tão longínquos, já pareciam mortos.

    Não, minha sina é outra e assim regresso a nosso universo de cidade grande e cheia de ameaças, de jornais atemorizantes com suas notícias de arrepiar. Sou obrigado a voltar a ler, todos os dias, a respeito de crimes inimagináveis em sua crueldade e requinte perverso, desabamentos, calamidades, guerras, corrupção fora de todos os limites, o Rio transmudado numa espécie de faroeste, o medo abrindo suas asas pegajosas sobre todos nós, que nem dentro de casa estamos mais seguros, a ponto de às vezes parecer incrível que ainda possamos sorrir e celebrar alguma coisa. Não deveria ser, mas é assim que transcorre nossa vida e, mesmo diante desses fatos, temos de prosseguir, agradecendo a Deus pela graça de cada novo dia. (…)

 

Questões:

 

1) O texto, como sugere o título “De volta à real”, se constrói por meio da oposição. Identifique-a.

 

 

2) O autor utilizou uma metáfora na caracterização do universo da cidade grande. Assinale-a:

a) “[…] cidade grande e cheia de ameaças […]”.

b) “[…] o medo abrindo suas asas pegajosas sobre todos nós […]”.

c) “[…] desabamentos, calamidades, guerras, corrupção fora de todos os limites […]”.

d) “[…] nem dentro de casa estamos mais seguros […]”.

 

 

3) Explicite a ideia introduzida pelos conectores sublinhados a seguir:

a) “Assim preservo as saudades e o encanto do que revivi, nesses dias tão breves que acabo de passar.”.

 

b) “[…] têm problemas e angústias como todos os outros, embora amenizados por estes ares gentis […]”.

 

 

4) Marque a alternativa em que se percebe a omissão do pronome átono indicador de ação reflexiva:

a) “Relutantemente, lembro que está na hora de deixar Itaparica.”.

b) “[…] já deverei encontrar-me de volta ao batente de sempre.”.

c) “E o fato é que a Itaparica que lhes apresento não existe.”.

d) “[…] com os defeitos e qualidades que se veem em gente de qualquer parte.”.

 

 

5) São acentuadas pelo mesmo motivo gramatical as palavras:

a) “está” e “já”.

b) “longínquos” e “irônica”.

c) “inimagináveis” e “incrível”.

d) “infância” e “paraíso”.

 

 

Por Denyse Lage Fonseca – Graduada em Letras e especialista em educação a distância.

 

 

As respostas estão no link acima do cabeçalho.

 

 

 




2 Comentários para Interpretação de texto: De volta a real – 1º ano do Ensino Médio

  1. Edvânia Carvalho disse:

    Gostei do reflexivo texto. As questões propostas também são interessantes.

  2. Bernadete Soares disse:

    As questões propostas são excelentes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *